Vereadores de Londrina podem pedir abertura de CEI da Educação


A Comiss√£o de Educa√ß√£o da C√Ęmara Municipal de Londrina n√£o descarta a possibilidade de solicitar a abertura de uma Comiss√£o Especial de Inqu√©rito (CEI) para apurar irregularidades nos procedimentos realizados pela Secretaria Municipal de Educa√ß√£o. Falhas na compra de uniformes escolares e dos livros did√°ticos considerados preconceituosos, problemas com a merenda escolar, falta de professores de apoio da 1¬™ a 4¬™ s√©rie, entre outros temas podem permear os futuros trabalhos dos vereadores.

Segundo o presidente da comiss√£o, vereador Rony Alves (PTB), a √°rea da educa√ß√£o tem sido envolvida por uma s√©rie de den√ļncias e irregularidades que merecem uma apura√ß√£o mais aprofundada dos temas. Ela destacou que os parlamentares que comp√Ķem a comiss√£o j√° fizeram pedido de informa√ß√Ķes √† Prefeitura de Londrina para fundamentar o poss√≠vel pedido.

"N√≥s queremos nos munir de documentos e dados. A gente precisa discutir essa situa√ß√£o com muito cuidado. N√£o descartamos de jeito nenhum o pedido da CEI", afirmou. No entanto, Alves ponderou que com a chegada do ano e as reduzidas sess√Ķes at√© dezembro da C√Ęmara, √© prov√°vel que o requerimento seja protocolado apenas para 2012.

Ele avaliou que o legislativo n√£o possui estrutura suficiente para encaminhar outra CEI, uma vez que j√° est√° em andamento a que investiga irregularidades nos contratos com a Centronic e Guarda Municipal e tamb√©m devido a possibilidade de uma abertura de uma Comiss√£o Processante (CP) contra o prefeito Barbosa Neto (PDT), no caso de desvio de verbas da sa√ļde.

"A estrutura da Casa √© muito pequena. S√£o muitos envolvidos nessas quest√Ķes e n√≥s tamb√©m temos a pauta semanal para dar andamento", justificou.

J√° o vereador Eloir Valen√ßa (PHS), que tamb√©m comp√Ķe a Comiss√£o de Educa√ß√£o, comentou que os trabalhos j√° podem ter desdobramentos em menos de um m√™s. "Temos pedidos de informa√ß√Ķes e aguardamos uma resposta da Prefeitura. Mas a gente ainda precisa se reunir e definir como seria a CEI. Se seria pautada em todos esses assuntos ou se ser√£o divididos", disse.

Ele ainda destacou que s√£o pelo menos quatro pontos iniciais da investiga√ß√£o. "S√£o temas que causaram grande preju√≠zo para a cidade. Muito dinheiro pode estar sendo jogado fora. Mas n√£o queremos trabalhar com especula√ß√Ķes. Vamos levantar todos os dados e abrir a CEI com seguran√ßa", disse.

Livros

Eloir Valen√ßa comentou que h√° farta documenta√ß√£o no caso dos livros adquiridos pelo munic√≠pio, da cole√ß√£o "Vivenciando a Cultura Afro-Brasileira e Ind√≠gena" que j√° valeriam a abertura da CEI. "Sem d√ļvida √© um caso que merece apura√ß√£o", afirmou.

Os 13.500 livros foram comprados pela prefeitura sem a realiza√ß√£o de concorr√™cia p√ļblica. A Editora √Čtica recebeu dos cofres p√ļblicos R$ 621 mil. A situa√ß√£o foi alvo de uma a√ß√£o da Promotoria de Defesa do Patrim√īnio P√ļblico.

A secretária municipal de Educação Karin Sabec Viana chegou a dizer que a coleção teria sido trocada, mas um documento conseguido pela reportagem de odiario.com comprova que não houve erro no pedido, ou seja, o município comprou o material que apresentava erros e foi considerado preconceituoso por entidades negras de Londrina.

Fonte: londrina.odiario.com