UGT vai às ruas se Governo não negociar pauta trabalhista


O Dia  Nacional de Luta com Greves e Mobiliza√ß√Ķes atingiu seus objetivos. A avalia√ß√£o √© das Centrais Sindicais que na manh√£ desta sexta-feira, dia 12, promoveram uma reuni√£o para avalia√ß√£o do movimento e tamb√©m para discutir os pr√≥ximos passos.

O presidente nacional da Uni√£o Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, disse que al√©m da avalia√ß√£o positiva, os sindicalistas est√£o aguardando um posicionamento do Governo Federal, nos pr√≥ximos dias, para discutir a pauta dos trabalhadores abrindo o di√°logo para o encaminhamento das reivindica√ß√Ķes.

Caso isso não ocorra, o movimento sindical já está se articulando para realizar no dia 30 de agosto, o Dia Nacional de Paralisação em todo o País.

Para o presidente Ricardo Patah, as manifesta√ß√Ķes do dia 11 foram importantes,  pois  hoje toda a Na√ß√£o sabe a pauta de reivindica√ß√Ķes dos trabalhadores  e tamb√©m sabe que se o Governo n√£o abrir as negocia√ß√Ķes a paralisa√ß√£o do dia 30 de agosto ser√° a maior que o Pa√≠s j√° vivenciou.
 
Na reuni√£o os sindicalistas tamb√©m decidiram que no dia 6 de agosto, as centrais far√£o atos em frente as sedes de entidades empresariais nos Estados e em Bras√≠lia, contra o Projeto de Lei 4330  que amplia a terceiriza√ß√£o e tira direito dos trabalhadores. "O Governo Federal j√° sabe da nossa for√ßa, agora chegou a hora do movimento sindical dizer: "Se liga Congresso Nacional" pois √© l√°  que o projeto est√° em tramita√ß√£o.

Patah tamb√©m afirmou quer o dia 11 de julho ser√° uma data hist√≥rica para o movimento sindical, pois ficou claro para o Governo que a sociedade quer mudan√ßas e, a exemplo do que ocorre na Europa, o povo sai √†s ruas quando n√£o concorda com a√ß√Ķes dos governantes. O brasileiro a partir de agora,  tamb√©m estar√° nas ruas pedindo mudan√ßas.

Fonte: UGT