Com chance de multa, educadores dos CMEIs mantêm greve em Curitib


Os educadores dos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) de Curitiba decidiram manter a greve da categoria após uma assembleia realizada nesta quinta-feira (20). O sindicato que os representa vai recorrer da decisão da Justiça do Trabalho que obriga a volta imediata dos servidores, sob pena de multa de R$ 80 mil ao dia.
De acordo com a Prefeitura de Curitiba, parte do serviço nos CMEIs está mantida, já que nem todos os funcionários aderiram à greve, que já está no terceiro dia. Conforme a administração municipal, na tarde desta quinta, 16, dos 183 CMEIs, estavam totalmente fechados.
Ainda conforme o sindicato, a principal reivindicação da categoria é a isonomia em relação aos professores e pedagogos das escolas municipais, além da redução da carga horária, cumprimento do piso salarial, eleição de diretoria, e aposentadoria especial.
A prefeitura diz que pode garantir aos educadores a migração para a carreira de professores de educação infantil, a efetivação de 20% de hora-atividade para os educadores e o piso salarial, a partir do dia 31 de março.
Enquanto as negocia√ß√Ķes n√£o avan√ßam, os grevistas prometem fazer uma manifesta√ß√£o na sexta-feira (21), em frente √† prefeitura.
Guardas municipais
J√° os guardas municipais da cidade, que tamb√©m paralisaram as atividades nesta quinta-feira, aceitaram a proposta da prefeitura para as reivindica√ß√Ķes da categoria. Segundo a prefeitura, at√© o dia 2 de junho, um projeto ser√° enviado para a C√Ęmara Municipal com o plano de carreira, cargos e vencimentos da Guarda Municipal.
Outra promessas são a criação da corregedoria da Guarda Municipal, a academia da guarda e a implantação de outras melhorias de infraestrutura. Os guardas dizem que, se o projeto do plano de carreira não for enviado na data prevista, uma greve poderá ocorrer no dia seguinte.
Fonte: g1.globo.com/pr