Professores e funcionários da rede estadual de ensino ocupam hall de entrada do Palácio Iguaçu
Data: 18-12-2017

rofessores e funcionários da rede estadual de ensino ocuparam o hall de entrada do Palácio Iguaçu, por volta das 12h desta segunda (18), na tentativa de pressionar o governo para a realização de uma reunião.

A Tropa de Choque da Polícia Militar (PM) foi chamada e chegou no local por volta das 13h, para acompanhar a situação.

O governo do estado apresentou uma proposta para receber professores e servidores da Educação para uma reunião com várias autoridades, às 17h desta terça-feira (19), com a condição de que os manifestantes deixassem o Palácio Iguaçu.

Os manifestantes aceitaram a proposta e começaram a deixar o prédio por volta das 14h30.

 

Protesto

 Professores e servidores da rede estadual de ensino protestam desde a manhã desta segunda-feira em várias cidades do Paraná contra o salário anunciado pela Secretaria de Estado da Educação (SEED) para a contratação de professores, pedagogos e tradutores e intérpretes de Libras através do Processo de Seleção Simplificado (PSS) no ano que vem.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), os vencimentos apresentam redução de 13% a cada hora trabalhada em relação às últimas contratações.

Em Curitiba, o protesto começou por volta das 10h na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente ao Palácio Iguaçu. Com faixas e cartazes, os manifestantes pedem uma reunião com o governo estadual e também devem seguir até a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) para pedir o apoio dos deputados.

A categoria também protesta pelo mesmo motivo em cidades como Londrina, Maringá, Toledo, Paranavaí, Foz do Iguaçu e Cascavel.

O salário anunciado pela Secretaria de Educação

 

Em nota, a SEED informou que os funcionários contratados ao longo de 2018 através do PSS receberão vencimento mensal de R$ 3.281 (R$ 2.445 de salário e R$ 826 de auxílio-transporte) e que o valor está acima do piso nacional para o magistério.

"O valor corresponde a 40 horas semanais, sendo 37% do total fora da sala de aula, em hora atividade (reservada para correção de provas e trabalhos, preparação de aulas etc)", diz o texto.

Já a APP-Sindicato, diz que a redução equivale a R$188,10 a cada 20 horas de trabalho.

De acordo com o Chefe da Casa Civil do Paraná, Valdir Rossoni, o orçamento da Secretaria de Educação em 2018 será o mesmo de 2017 e, por isso, é necessário fazer reduções.

"Nós queremos que a APP Sindicato também exija um melhor salário ao PSS mas também assuma a parte de responsabilidade que lhes cabe para apontar onde nós podemos ajustar o orçamento da secretaria", disse.

Fonte: g1.globo.com/pr/parana

 

Boletim Eletrônico
Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber nossa newsletter.
Nome:
E-mail: